terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

História da Freguesia de Alvor


Tradicionalmente um lugar de vocação marítima e piscatória, dependente da benevolência ou dos desfavores do mar, Alvor é na actualidade uma importante estância turística virada para o futuro, face a uma imparável expansão demográfica e um crescente desenvolvimento económico e social. Segundo alguns estudiosos na actual Alvor terá sido fundado em 436 a. C, pelo general cartaginês Aníbal Barca, um entreposto comercial com o nome de Portus Hannibalis. 

Contudo, o povoado primitivo nasceu e desenvolveu-se junto ao mar, no local chamado de Vila Velha, onde existiu um castro celtibérico da Idade do Ferro, com domínio sobre o rio, que se crê ser a importante cidade de Ipses, que teve direito a cunhar moeda, depois absorvida pela Romanização, cujos vestígios já foram comprovados pela Arqueologia. Tomada pelos mouros em 716, a aldeia passou a chamar-se de Albur (campo inculto) e ganhou um imponente castelo de que hoje apenas restam alguns troços. Este bastião foi conquistado por D. Sancho I, a 3 de Junho de 1189, com o auxílio dos Cruzados mas, perdido dois anos depois, só foi definitivamente reconquistado em 1250. Reedificado por D. Dinis em 1300, serviu durante cerca de 500 anos de fortificação militar de defesa da costa, contra os piratas e corsários, até ser derrubado pelo Terramoto de 1755. Por carta de D. Afonso V, datada de 22 de Maio 1469, Alvor foi erigida em condado e senhorio a favor de D. Afonso, conde de Faro. Todavia, o condado não teve continuação visto este nobre ter sido implicado na conspiração contra D. João II, em 1483/84, revertendo, por isso, de novo para a coroa. Alvor aparece estreitamente ligada ao rei D. João II, que aqui morreu em 25 de Outubro de 1495, no palacete «sumptuoso» de Álvaro de Ataíde, na Rua do Poço, desenganado dos banhos hidromedicinais das Caldas de Monchique. Por vontade expressa do Príncipe Perfeito, dias antes de morrer, Alvor seria elevada a vila por D. Manuel, por carta de 28 de Fevereiro de 1495, acto confirmado por outro diploma datado de 28 de Dezembro de 1498, sendo então desligada de Silves. Nas últimas décadas do século XV havia em Alvor uma judiaria, à semelhança de outras terras importantes do Algarve. 


A Igreja Matriz foi levantada nos primórdios do século XVI, sob auspícios dos Ataíde, alcaides-mores da vila, donatários de avultados privilégios e senhores de boas rendas, sendo provável que tenha sido erigida por Álvaro de Ataíde (filho), que foi alcaide a partir de 1497. 

Desta época de prosperidade será também a Santa Casa da Misericórdia, embora o primeiro documento que sobre ela existe esteja datado de 1652. Segundo João Baptista da Silva Lopes, a vila só teve foral no tempo de Filipe I, datado de 13 de Dezembro de 1585. Frei João de S. José, em 1577, apresenta Alvor como uma terra afortunada dizendo que na vila «entram barcos, naus e navios carregados». Anos depois outro autor, Henrique Fernandes Serrão (1606), refere-se aos seus duzentos e quarenta fogos, ao seu castelo guarnecido de «grossa artilharia», às ruínas de uma antiga fortaleza que servia de pedreira para outras construções, à abundância de peixe e marisco, marinhas de sal, «vinhos afamados», passas e trigo. Menciona também as povoações de Montes de Baixo e Montes de Cima, ou dos Freires, uma importante família nobre local. Por carta régia de D. Pedro II, datada de 4 de Fevereiro de 1683, a vila de Alvor foi novamente erigida em condado, na pessoa de Francisco de Távora (f.1710), nobre que ocupara altos cargos e se distinguira na Batalha de Montes Claros. O título passou depois para Bernardo de Távora (2.º conde), e Luís Bernardo de Távora (3.º conde) em quem se extinguiu devido ao processo e suplício dos Távora em Belém, a 13 de Janeiro de 1759. Todavia, a supressão do condado não impediu que a rentável alcaidaria-mor continuasse na Casa de Cadaval. O Terramoto do 1.º de Novembro de 1755 e os embates do terrível maremoto que penetrou vila adentro, arrasou casas, e derrubou o castelo, a torre do Facho e a ermida de Nossa Senhora da Ajuda. A igreja matriz ficou rachada e morreu apenas uma pessoa. A onda devastadora alterou completamente o rio e fez baixar a população para cerca de mil habitantes. O revés sofrido pelos Távoras provocou a supressão do condado e a incorporação dos seus bens na Casa das Rainhas, até 1773, ano em que o termo foi integrado como aldeia e freguesia no concelho de Portimão. O rei D. Sebastião visitou o concelho de Portimão entre o Sábado 24 e Terça-feira 27 de Janeiro de 1573, tendo estado em Alvor no dia 24, e também a 25, quando foi visitar as casas (então arruinadas) onde em 1495 morreu D. João II. A alcaidaria-mor de Alvor pertencia então ao conde de Odemira. João Baptista da Silva Lopes (1841) apresenta a aldeia como «grande e rica», com ostras e amêijoas no rio e campos bem cultivados. A barca de passagem continuava a ser de donatário e colmatava a falta de uma ponte. Refeita do cataclismo de 1755, a aldeia acusava em 1900 uma população de 3014 almas. Os pescadores de Alvor possuíram em tempos um Compromisso, que estava instituído na ermida de N.ª Senhora dos Prazeres e já existia em 1754. Na actualidade Alvor voltou a ser extensa, lembrando os tempos áureos de antes do Terramoto, em que «os três ferreiros da terra não se ouviam uns aos outros». A Restauração do estatuto e dignidade de vila (mas não de concelho) deu-se a 14 de Abril de 1988, através da Lei 42/88, uma vez que a constante expansão demográfica e o seu desenvolvimento económico, cultural e social assim o exigiam.

Gentilmente cedido por: @ José Rosa Sampaio


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Brazão de Alvor



Brasão – Escudo de azul, sol de ouro carregado de um mundo do crucífero de vermelho, realçado de prata; campanha de prata; figurando duas ondas e carregada de duas burelas ondadas, uma de verde e uma de azul, tendo brocante uma amêijoa de vermelho. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro: «ALVOR».

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Dados gerais de Alvor


Alvor é uma freguesia portuguesa do concelho de Portimão, com 15,25 km² de área e 4 977 habitantes (2001). Densidade: 326,3 hab/km².  

Terra de tradição marítima e piscatória, de profundas crenças religiosas, assinaladas pela Igreja Matriz, donde se destaca o seu pórtico principal de grande riqueza decorativa, esteve desde sempre sujeita aos fortúnios da faina e infortúnios do mar. Hoje, paralelamente com a pesca de cariz artesanal, a restauração, o comércio e o turismo são as actividades económicas principais. 

Alvor é muito conhecida pelas suas praias e pela sua aldeia piscatória junto à foz do rio. Aqui faleceu, em 25 de Outubro de 1495, el-rei de Portugal D. João II. Pouco tempo depois, D. Manuel elevou-a a vila sede de concelho, estatuto que viria a perder no início do século XIX. O pequeno município era constituído apenas pela vila e tinha, em 1801, 1 288 habitantes. 

Limites da freguesia – Mexilhoeira Grande (N), Portimão (E) e Odiáxere (O). 
Orago da Freguesia – S. Salvador de Alvor.
Actividades económicas – Agricultura, hotelaria, restauração, turismo, comércio, construção civil e pesca.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Hospital Particular do Algarve - Alvor



Site Oficial - Hospital Particular do Algarve - Alvor
Telefone - 707 28 28 28

Envolvido há várias décadas na atividade turística, o Dr. João Bacalhau, médico, fundador e CEO do Grupo Hospital Particular do Algarve, cedo identificou algumas deficiências e difi culdades na assistência médica que era prestada à grande maioria dos turistas que procuravam o Algarve como destino de férias.

Foi assim que surgiu a ideia de criar uma unidade de saúde que, à imagem do bom serviço prestado pelas estruturas hoteleiras no Algarve, se centraria no cliente e no seu bem-estar, associando a isso uma prestação de cuidados médicos com diferenciação e tecnologia, até então inexistentes nesta região.

Alicerçado em bases sólidas, com staff diferenciado, profi ssionais de várias nacionalidades e multilíngues, o Hospital Particular do Algarve tem cultivado a filosofia de serviço ao paciente, procurando constantemente a inovação e promoção de políticas de qualidade e bem-estar para todos.

Porque “a saúde é um bem de particular importância”, lema desde sempre assimilado por todos os colaboradores do Hospital Particular do Algarve, o grupo tem-se envolvido não só no tratamento da doença, mas também em políticas de promoção de saúde, através da criação de departamentos de diagnóstico pouco invasivo e precoce de um grande leque de doenças, e na consciencialização da
sociedade local, divulgando cuidados para a prevenção e promoção da saúde.

Inaugurado em 1996 na vila de Alvor, perto da Praia da Rocha, o Hospital Particular do Algarve tem instalações modernas, está bem equipado e tecnologicamente avançado, o que significa uma vantagem em termos de saúde, quer a nível regional como nacional.

Abrangendo as mais diversas áreas de actuação em cuidados de saúde, com um serviço de 24 horas e uma equipa médica qualificada, oferecendo serviços médicos diferenciados tanto aos residentes como aos milhares de turistas que nos visitam ao longo do ano.

Com um crescimento contínuo ao longo dos anos, resultado de uma filosofia de cuidados orientados para o bem-estar do paciente, este Grupo tem vindo a alargar a sua influência geográfica em todo o Algarve, com unidades em Alvor, Portimão, Monchique, Albufeira, Vilamoura e Faro.

Com esta distribuição garantimos a existência de Unidades Hospitalares altamente diferenciadas nas cidades Algarvias onde reside a maior parte da população desta região e para garantir uma relação de proximidade surgiu a rede de Clínicas, nas quais é possível realizar um abrangente leque de consultas,
exames e cirurgias de ambulatório.

Por forma a garantir as conexões entre todas estas Unidades, de modo a que a distância entre elas não seja problemática, possuímos uma rede de ambulâncias que nos conecta fisicamente num curto espaço de tempo, estando equipadas com a mais alta tecnologia na área dos transportes.

Preocupados em garantir a continuidade dos dados e de toda a informação, possuímos uma rede tecnológica que interliga todas as Unidades do Grupo.

Estão assim reunidas as garantias de apoio clínico apropriado e necessário independentemente da unidade onde se encontra. O diagnóstico poderá ser efectuado pelo especialista adequado a partir de qualquer uma das unidades, independentemente de onde o exame foi realizado e sem quaisquer perdas
de tempo. A decisão clínica é assim célere e apoiada no recurso que mais se apropria à situação garantido uma melhoria substancial e diferenciadora dos cuidados de saúde.

Notícia retirada daqui

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Algarve - O Segredo mais famoso da Europa

O Algarve é um dos segredos mais bem guardados da Europa devido a vários factores: ao seu litoral espetacular e praias de areia branca; pela verdura das campos; as paisagens dramáticas da Costa Vicentina ou pelo contacto com a natureza que podem ser apreciadas em áreas protegidas da Ria Formosa, Castro Marim ou  na Ria de Alvor. Cada visitante do Algarve pode em última análise, descobrir o seu próprio segredo. 

Há hotspots conhecidos, onde todos querem estar: as praias da moda, discotecas à beira-mar, os mais novos hotéis de cinco estrelas, restaurantes com estrelas Michelin, os eventos de verão. Há uma infinidade de experiências que marcam e que fazem o destino de férias Algarve mais desejado pelos turistas portugueses e estrangeiros.



terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Vídeo sobre a costa no Barlavento Algarvio

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Hóteis em Alvor - Algarve - Luna Alvor Bay ***


Site Internet - Luna Alvor Bay ***

O Luna Alvor Bay situa-se apenas a 100 metros da Praia de Alvor e dispõe de estúdios climatizados, com uma kitchenette e uma varanda mobilada. Possui uma piscina exterior com um terraço para banhos de sol.
Os estúdios apresentam uma decoração moderna com cores naturais e móveis em madeira. Todos os quartos incluem televisão por satélite e as kitchenettes contam com uma máquina de lavar louça, talheres e um micro-ondas.
A recepção 24 horas do Luna Alvor Bay poderá ajudar a organizar passeios a pé pela área. Os hóspedes poderão alugar uma bicicleta ou um carro para explorar Alvor e a Reserva Natural da Ria de Alvor, que se encontra próxima.
O snack-bar serve uma variedade de snacks regionais portugueses e internacionais e poderá desfrutar de um cocktail exótico no cocktail bar. Tem ao seu dispor um serviço de quartos.
O centro de Alvor está a 5 minutos a pé do Luna Alvor Bay e a 67 km do Aeroporto de Faro. Existe estacionamento gratuito nas proximidades

Dispôe de: Lounge & Bar; Snack Bar; TV Satélite; Ar condicionado; Telefone Directo; Cofre no Quarto (custo adicional); Voltagem dos Apartamentos: 220V; Elevadores: 2; Piscinas para Adultos; 70 mts da praia

Informação retirada de Luna Alvor Bay







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos