segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Grandes Aves Terrestres presentes na Ria de Alvor


Garça-boieira
Bubulcus ibis

A garça-boieira é uma fiel acompanhante do gado bovino, podendo ser vista com frequência nos campos, procurando alimento entre aqueles animais.

Identificação
É uma garça de média dimensão, com a plumagem quase totalmente branca, mas com manchas alaranjadas no dorso e na coroa, sobretudo durante a época de reprodução. O bico é amarelo, tornando-se alaranjado na Primavera. As patas são pretas, mas também se tornam alaranjadas na época de criação.

Abundância e calendário
Esta garça pode ser vista em Portugal durante todo o ano. É geralmente bastante numerosa e não é raro encontrar bandos de várias centenas de aves juntas. Esta é a mais terrestre de todas as garças, surgindo muitas vezes longe de água, associada ao gado bovino, equino e ovino ou acompanhando as máquinas agrícolas.

Durante a época dos ninhos ocorre principalmente a sul do Tejo e na Beira Baixa, observando-se as maiores concentrações nas zonas das colónias, mas a partir do final do Verão aparece também com bastante frequência na Beira Litoral e, por vezes, no norte do país.

Informação retirada daqui

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Guia de Alojamento


DownloadGuia de Alojamento

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

FIESA - Festival Internacional de Escultura em Areia - Pêra


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Clubes Desportivos - Associação Centro de Karate-Do Shotokan de Alvor


Associação Centro de Karate-Do Shotokan de Alvor
Pedra Mourinha, n.º 102 8500-335 Portimão
edm@netcabo.pt

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Fotografias Antigas de Portimão - parte 1





















sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A Ria de Alvor


No cruzamento de acesso à vila da Mexilhoeira Grande na EN125 corta-se em direcção a sul, na direcção  oposta à vila. Atravessa-se a passagem de nível do ramal de Lagos da Linha do Algarve (dista cerca de 100  metros) e entramos na Quinta da Rocha, uma península que nos leva à Ria de Alvor.

Seguindo em frente atravessam-se campos agrícolas, grande parte abandonados, dominadas por culturas  de pequena dimensão compostas por amendoeiras, oliveiras, alfarrobeiras, romãzeiras, marmeleiros e  figueiras, bem como alguns pequenos pomares de citrinos e baldios.

Durante este percurso é fácil observar fringilídeos (pintassilgo, chamariz, verdilhão, pintarroxo) e ainda  trigueirão, pega-azul, poupa e, na época de nidificação, durante o dia no topo de um poste telefónico ou casa  em ruínas, o mocho-galego. Nas áreas de pastagem a acompanhar o gado bovino ou caprino temos  garças-boieiras. No Verão o abelharuco e as diferentes andorinhas mostram sua beleza e agilidade.

Nos campos agrícolas, durante a migração outonal é possível observar o movimento de centenas de  passeriformes que procuram áreas de repouso e  alimentação durante esta epopeia que é a migração. Destacam-se como migradores de passagem  chasco-cinzento, rouxinol-pequeno-dos-caniços,  felosa-poliglota, felosa-das-figueiras,  toutinegra-de-barrete-preto, felosa-comum,  papa-moscas-cinzento, papa-moscas-preto, em como  outras espécies de felosas. No Inverno é comum  observar alvéola-branca, pisco-de-peito-ruivo e  rabirruivo-preto. Ao longo do ano para além das aves  associadas a campos agrícolas, é possível encontrar o  alcaravão.

Chegados ao parque de estacionamento, a zona húmida – laguna e sapais – pode ser explorada a pé seguindo o dique que rodeia uma área de sapal. Nesta área de sapal pode-se observar flamingo, garça-
real, garça-branca-pequena, maçarico-de-bico-direito, borrelho-de-coleira-interrompida, borrelho-grande-de-coleira, pernilongo, cotovia-de-poupa e muitas outras aves limícolas. Na laguna durante a maré vazia as gaivotas-argênteas descansam nos bancos de areia a descoberto. 

Entre  elas há sempre a oportunidade de ver outras espécies de aves como o corvo-marinho-de-faces brancas, o  ostraceiro, o pilrito-das-praias, o garajau-comum e o garajau-grande. Na época de nidificação, a andorinha-do-mar-anã encontra nesta área um local privilegiado de alimentação, nidificando no sistema dunar que separa a ria do mar.

Junto às salinas nos bancos de vasa e sapal que se encontram na ribeira de Odiáxere a presença do maçarico-galego, da rola-do-mar e da tarambola-cinzenta não passa despercebido. Aqui, e ao longo dosdiques durante os meses de Inverno esconde-se o pisco-de-peito-azul. No Verão a alvéola-amarela mostra os seus voos graciosos nas áreas interiores de sapal.

A partir da vila de Alvor este sistema estuarino pode ser explorado percorrendo a pé o sistema dunar. No interior, durante a maré vazia nos bancos de areia a descoberto para além da gaivota-argêntea, é possível observar o garajau-comum. Junto à embocadura da ria nos bancos de areia observam-se ostraceiro, rola-do-mar, pilrito-das-praias entre outras aves limícolas. Nas dunas observa-se cotovia-de-poupa, borrelho-de-coleira-interrompida e andorinha-do-mar-anã, que utilizam esta área para nidificar.

Melhor época: Setembro a Maio

Distrito: Faro
Concelhos: Lagos e Portimão
Onde fica: A Ria de Alvor localiza-se no barlavento algarvio entre as cidades de Portimão e Lagos. Para quem vem de Lisboa, seguir pela A2 e depois pela A22 saindo no nó de Alvor. Para chegar à Quinta da Rocha, na EN125 no cruzamento da Mexilhoeira Grande – vila situada entre as cidades de Portimão e Lagos – virar para Sul, 150 metros mais à frente atravessar a passagem de nível e seguir em frente cerca de 2,5 Km até chegar junto do sapal e estuário. Aqui pode-se deixar o carro e explorar a pé o dique. No caso de querer explora a Ria de Alvor a partir do sistema dunar deverá tomar a direcção de Alvor. Aqui chegado deixaro carro na zona ribeirinha de Alvor e seguir a pé entre o sistema dunar e o estuário/sapal até ao molhe e regressar pela praia.

Informação retirada daqui

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Guia de Gastronomia e Vinhos


Download Guia de Gastronomia e Vinhos

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Praias de Alvor - Alvor


Praia de Alvor - a praia de alvor e um dos ex-libris da região. Alem da bandeira azul, foi também distinguida com a qualidade de ouro, prémios que confirmam tanto a qualidade ambiental das aguas como das infra-estruturas. O vasto areal e outro dos encantos desta praia situada frente a ria, um lugar interessante para levar os mais pequenos e onde eles podem observar de perto varias espécies.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Clubes Desportivos - Associação De Pescadores Amadores de Alvor


Associação De Pescadores Amadores de Alvor (sede)
Estrada da Barca-B:º Popular Alvor 8500-002 Alvor
milenehenrique81@hotmail.com

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O Algarve visto de cima ...





terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Ria de Alvor

O Rio Alvor (ou Ria de Alvor) é um pequeno rio português, resultante da união de quatro cursos de água nascidos na encosta Sul da Serra de Monchique: a ribeira do Farelo e a ribeira da Torre (que desaguam na sua margem a nascente) e a ribeira de Odiáxere com a sua aflente ribeira do Arão (que desaguam na margem poente). A partir daí estabelece uma ria alargada, que constitui a fronteira natural entre as freguesias de Odiáxere (concelho de Lagos), Mexilhoeira Grande e Alvor (concelho de Portimão).

A Ria de Alvor está reconhecida como Sítio de Importância Comunitária (PTCON0058). Dela fazem parte dunas cinzentas, praias e estuários, terrenos agrícolas, mato semi-natural, pinhal e sapais salgados, além de abrigar espécies e habitats de interesse comunitário, conforme a Directiva Habitats.

As duas maiores propriedades na Ria de Alvor são a Quinta da Rocha e a Abicada .

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Morabitos de Alvor


Morabito anexo à sacristia da igreja matriz de Alvor
Imóvel de Interesse Público


Morabito de S. Pedro
Morabito SPedro
Imóvel de Interesse Público
Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978

Junto ao cemitério da vila de Alvor existe uma pequena capela de planta quadrangular com cúpula, conhecida como Morabito de São Pedro e que resultou da reconversão ao culto católico de um pequeno templo islâmico


Morabito de S. João
Imóvel de Interesse Público
Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Praias de Alvor - Praia da Torralta


Praia da Torralta ( Alvor nascente) - aguas cristalinas e tépidas, areias douradas e finas, um horizonte a perder de vista num mar de varios tons de azul e as melhores condições de conforto e segurança para retemperadores dias a beira-mar, eis o cartão de visita da Torralta.Com um extenso areal e bem próximo da típica vila de alvor, esta praia e servida por varios equipamentos hoteleiros e de restauração, ostentando todos os anos a bandeira azul da União Europeia.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Clubes Desportivos - Clube Naval D. João II de Alvor


Clube Naval D. João II de Alvor
Edíficio Salva Vidas - L da Ribeira
alnautica.info@gmail.com

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Alvor visto de cima ...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos